Pages

As contribuições têm sido repassadas integralmente pelo Governo do Estado

 

De janeiro a março deste ano, o Instituto de Previdência do Estado de Roraima (IPER) arrecadou mais de 131 milhões de reais. De acordo com o Presidente do IPER, José Haroldo Campos, a quantia é superior à soma das arrecadações feitas em 2017 e 2018, cujo valor não chegou nem a 116 milhões de reais. “A notícia é excelente. Eu acredito que esse recorde de arrecadação só foi possível porque, hoje, o Governo do Estado repassa integralmente as contribuições, segurado e patronal”, comemorou ele.  

 

Segundo o Diretor de Investimentos e Arrecadação do Instituto, Rafael Alencar, o executivo atual não possui débitos com a previdência estadual. “As dívidas são oriundas de governos anteriores e nós estamos buscando o refinanciamento delas”, revelou. Atualmente, só podem ser refinanciados os débitos feitos até março de 2017. “O Governo do Estado pretende alterar essa data para dezembro de 2018 e parcelar a dívida, que gira em torno de 490 milhões de reais, em até 200 vezes. A Secretaria de Previdência pode editar uma resolução e fazer essa alteração. Esse é o nosso pleito junto ao Governo Federal”, explicou o Diretor.

 

Entenda como é feita a arrecadação

 

O IPER é o gestor único do Regime Próprio de Previdência do Estado de Roraima. A missão do Instituto é garantir aos segurados e aos seus dependentes os benefícios previdenciários que lhes sejam devidos, zelando sempre pela boa gestão dos recursos.

 

O IPER é custeado pelos próprios segurados (ativos, inativos e pensionistas), que contribuem mensalmente com 11% dos seus proventos, e pelo Governo do Estado, que é responsável pela contribuição previdenciária patronal (14%). Após a arrecadação, as contribuições são repassados ao Instituto, que transforma esses recursos em investimentos para garantir o pagamento das aposentadorias, auxílios e pensões.